segunda-feira, 24 de abril de 2017

Fatalidade na Bahia: Motoqueiro morre ao bater em cavalo na BR 324, entre Gavião e Itatiaia


Na noite desta segunda-feira, 24 de abril de 2017, o condutor de uma moto ainda não identificado veio a óbito, ao colidir contra um animal na BR 324, entre Gavião e Itatiaia, que pertence ao município de São José do Jacuípe. Segundo informações, a placa da moto é da cidade de Capim Grosso e o homem trabalha com representação de água mineral. Nas redes sociais, um caminhoneiro relatou que conseguiu livrar do cavalo, mas, o motoqueiro que vinha logo atrás não teve a mesma sorte e acabou morrendo junto com o animal na colisão. Fonte: Augusto Urgente!

Contra reformas desumanas do Temer: Greve do dia 28 deve afetar escolas e transporte; veja quem para

Ponto de ônibus lotado na Avenida Jabaquara, em São Paulo, durante paralisação de motoristas e cobradores de ônibus. A categoria aderiu ao Dia Nacional de Mobilização contra a reforma da previdência e reforma trabalhista - 15/03/2017 (Danilo Fernandes/Brazil Photo Press/Folhapress)

A paralisação é um protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência propostas pelo governo


A Central Única dos Trabalhadores (CUT) e outras entidades sindicais estão convocando uma greve geral para o dia 28 em conjunto com movimentos. A paralisação é um protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência do governo Michel Temer (PMDB). As centrais estão organizando um ato que começará às 17h no Largo da Batata, na Zona Oeste de São Paulo, seguido de uma caminhada até a casa do presidente Temer. A CUT informa que não tem a expectativa de superar o público da manifestação da última greve geral, em 15 de março, mas paralisar as atividades do país durante o dia.

No dia 1º de maio, quando é celebrado o Dia do Trabalho, a CUT planeja um ato político na Avenida Paulista. Até agora, sete sindicatos se posicionaram sobre o assunto e confirmaram a participação na paralisação do dia 28; veja abaixo:
Sindicato dos Metroviários de SP
Os metroviários confirmaram a participação na greve. A paralisação será durante o dia inteiro. Os sindicalistas estão fazendo divulgação do ato nas estações de metrô e dentro dos vagões.
Sindicato dos Rodoviários
O Sindicato dos Rodoviários do ABC confirmou paralisação durante todo o dia 28 de abril. A greve vai atingir as empresas de ônibus de todas as cidades do Grande ABC.
Sindicato dos Bancários de SP e região
Os trabalhadores do sindicato também vão  parar durante todo o dia de greve.
Sindicato dos Correios
O sindicato vai antecipar a greve para o dia 26 de abril, às 22h, e promete manter a paralisação por tempo indeterminado. As reivindicações da categoria incluem críticas à gestão da empresa, como proibição de férias até maio de 2018, defasagem salarial e congelamento de contratações de funcionários desde 2011.
Sindicato dos Servidores Municipais de SP
O sindicato confirmou participação na greve geral do dia 28, mas ainda não determinou se a paralisação durará o dia inteiro.
Sindicato dos Professores Municipais (SINPEEM) e Estaduais (APEOESP):
As duas categorias vão parar durante todo o dia 28 de abril. O protesto será contra as reformas do presidente Michel Temer e a reposição salarial.
Sindicatos de professores particulares de vários estados também analisam parar suas atividades.

Contra as maldades do governo: Pilotos e comissários aprovam estado de greve contra reformas

Em 2016, pilotos e comissários paralisaram as atividades no aeroporto de Congonhas, em São Paulo (VEJA.com/Folhapress)

Assembleia irá definir adesão ou não à paralisação na quinta-feira


Os trabalhadores filiados ao Sindicato Nacional dos Aeronautas (SNA) decidiram nesta segunda-feira entrar em estado de greve contra as reformas trabalhista e da Previdência do governo Michel Temer. A entidade realiza nova assembleia na quinta para decidir se adere à greve geral marcada para sexta-feira, do dia 28 de abril, convocada CUT (Central Única dos Trabalhadores) e outras centrais sindicais contra às reformas trabalhistas e previdenciárias.

Nos próximos três dias, o sindicato estará em Brasília para discutir com os políticos pontos das reformas com as quais não concordam e que podem prejudicar a categoria. Segundo o presidente do SNA, Rodrigo Spader, há pontos da reforma trabalhista que prejudicam os aeronautas. “Existem vários pontos que nos afetam. Por exemplo, como há períodos de alta e baixa temporada, os tripulantes poderiam ser usados na alta temporada e dispensados depois. Isso é uma precarização sem precedentes para o aeronauta”, explicou Spader.

O presidente ressalta que o governo precisa escutar as reivindicações da categoria para que a ‘precarização não aconteça’. “Várias vezes ao ano, somos confrontados por exames de saúde. Se um aeronauta perdesse uma carteira de saúde, por exemplo, poderia ser dispensado por justa causa”. Outra reclamação do sindicato é em relação à reforma da Previdência. Segundo a entidade, não é mais possível pilotar em voos internacionais a partir dos 65 anos. Ferroviários de São Paulo Os trabalhadores do sindicato que representam as linhas 10-Turquesa e 7-Rubi da CPTM, de São Paulo, irão realizar assembleia na noite de terça-feira para decidir se irão aderir ou não à paralisação das atividades durante o dia 28 de abril.

PT em pânico: Se Palocci falar, será um ‘verdadeiro terremoto’, diz líder do Partido dos Trabalhadores

O ex-ministro Antonio Palocci (PT), que pode fechar acordo de delação premiada (Sebastião Moreira/AE/VEJA/VEJA)

Deputado Carlos Zarattini afirma que ex-ministro de Lula e Dilma tem ‘muito para falar’ sobre bancos, grandes grupos econômicos e empresas de comunicação


O líder do PT na Câmara dos Deputados, Carlos Zarattini (SP), classificou como um “verdadeiro terremoto” a eventual delação premiada de Antonio Palocci, ex-ministro da Fazenda no governo de Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e chefe da Casa Civil na gestão de Dilma Rousseff (PT). “Não sabemos exatamente o que ele pretende, mas, com certeza, se ele falar sobre o que tem conhecimento, o Brasil vai sofrer um verdadeiro terremoto no meio empresarial”, disse.

Para o deputado, o ex-ministro pode comprometer outros setores além das empreiteiras. “A gente tem certeza que ele tem muito para falar, inclusive sobre os grandes grupos econômicos brasileiros, o capital financeiro, os grandes bancos e as grandes redes de comunicação“, afirmou Zarattini, que participa nesta segunda-feira, 24, do seminário “Estratégia para a Economia Brasileira – Desenvolvimento, Soberania e Inclusão”, promovido pelas lideranças do PT na Câmara e no Senado e pela Fundação Perseu Abramo, ligada ao partido, em Brasília. A previsão é que Lula compareça ao encontro no final da tarde. Na semana passada, em depoimento ao juiz Sergio Moro, Palocci deu indicações sobre sua disposição em fazer um acordo de delação premiada, ao sugerir que tem muito a contar sobre os esquemas investigados pela Operação Lava Jato. “Fico à sua disposição”, disse Palocci a Moro. “Todos os nomes que optei por não falar aqui, por sensibilidade da informação, estão à sua disposição para o dia que o senhor quiser. E, se o senhor estiver com agenda muito ocupada e determinar uma pessoa, eu imediatamente apresento todos esses fatos, com nome, endereço, operações realizadas e coisas que certamente vão ser do interesse da Lava Jato, que realiza uma investigação de importância”, afirmou o petista, acrescentando que as informações podem abrir um “caminho” que pode render mais um ano de trabalho a Moro.

Palocci está preso em Curitiba desde setembro de 2016, quando foi alvo da 35ª fase da Lava Jato, a Operação Omertà. Ele é acusado formalmente de corrupção e lavagem de dinheiro por ter, segundo o Ministério Público Federal, atuado em favor da Odebrecht nas tratativas da Medida Provisória 460, na operação de navios-sondas da Petrobras e na liberação de financiamento do BNDES em obras em Angola em troca de propinas pagas ao PT. (Com Estadão Conteúdo)

José Medeiros ACABANDO Com a hipocrisia Petista DESTRUINDO LULA,Leonardo Boff E SUAS MENTIRAS

Trump e China fecham acordo contra ameaça nuclear norte-coreana

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebeu nesta quinta-feira o presidente da China, Xi Jinping, na Flórida - 06/04/2017 (JIM WATSON/AFP)

Líderes comprometeram-se a juntar esforços para combater o programa nuclear da Coreia do Norte


Donald Trump e o presidente da China, Xi Jinping, concordaram em unir esforços para combater o programa nuclear da Coreia do Norte, informou comunicado divulgado nesta segunda-feira pela Casa Branca. Em telefonema realizado na noite de domingo, o presidente dos Estados Unidos criticou a “beligerância contínua” da Coreia do Norte e disse que as ações de Pyongyang estão desestabilizando a península coreana. Os dois líderes concordaram com a urgência da ameaça que o país representa e Xi Jinping afirmou que se opõe firmemente ao programa de armas nucleares da Coreia do Norte, que viola as resoluções do Conselho de Segurança das Nações Unidas. Jinping disse ainda que espera que a situação não se agrave. O governo Trump advertiu que todas as opções, incluindo ataques militares, estão “sobre a mesa” para deter as ambições da Coreia do Norte de desenvolver um míssil nuclear que poderia chegar ao continente americano. (com Reuters e AFP)

Ex-presidente em pânico! Lula vai ao STF para que citações a ele não sejam enviadas ao juiz Sérgio Moro

Ex-presidente alega no pedido que diversos relatos sobre ele feitos por ex-executivos da empreiteira não são relacionados diretamente a desvios na Petrobras.




O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva pediu nesta segunda-feira (24) ao Supremo Tribunal Federal (STF) que diversas citações a seu nome na delação da Odebrecht não sejam enviadas para as investigações da Operação Lava Jato no Paraná conduzidas pelo juiz Sergio Moro, mas sim para a Justiça Federal em São Paulo ou em Brasília. Para a defesa do petista, vários relatos sobre ele feitos por ex-executivos da empresa não se relacionam diretamente aos desvios na Petrobras e por isso devem ser remetidos a outros juízes da primeira instância. Os advogados mencionaram, por exemplo, narrativas sobre a suposta participação do ex-presidente em conversas sobre a privatização do setor petroquímico, que beneficiou a Braskem, pertencente à Odebrecht. Há ainda relatos sobre influência de Lula para expansão da linha de crédito em Angola em favor da Odebrecht Em contrapartida e a pedido de Lula, a empresa teria feito doações à campanha eleitoral de El Salvador; ajudado na aquisição de um terreno para o instituto do ex-presidente; e ainda a participação da empresa na construção do estádio Itaquerão, em São Paulo. No total, a defesa apresentou oito pedidos do tipo ao STF, relativos, cada um, a uma linha de investigação remetida ao Paraná. Lula também é mencionado por ex-executivos da Odebrecht em relatos sobre sua suposta em pedidos de propina ao PT por licitação envolvendo a Sete Brasil, empresa fornecedora de sondas à Petrobras. Outros delatores falam em pagamentos feitos ao marqueteiro João Santana para financiamento da campanha eleitoral do ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad, em 2008. Todos esses casos foram remetidos ao Paraná pelo ministro Edson Fachin, relator da Lava Jato no STF. Com os pedidos de Lula, caberá a ele rever sua decisão ou submetê-la para análise da Segunda Turma da Corte, composta também pelos ministros Gilmar Mendes, Celso de Mello, Dias Toffoli e Ricardo Lewandowski. Nos pedidos, a defesa de Lula lembra que, em 2015, o plenário do STF mudou a relatoria de uma investigação sobre a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) originada da Lava Jato, mas relacionada a supostos desvios do Ministério do Planejamento. “Considerou-se que o fato de os depoimentos oriundos de colaborações premiadas terem sido realizadas no curso das investigações da “Operação Lava Jato” não seria suficiente para determinar a concentração da competência no Juízo prevento para apurar fraudes e desvios de recursos no âmbito da Petrobras [...] A competência para processar ações ou investigações baseadas em depoimentos de colaborador, portanto, dependerá do local em que foram, em tese, consumados os delitos imputados, da sua natureza e da condição das pessoas incriminadas”, argumentou a defesa.

Conta as maldades do Temer: Mais seis entidades aderem à greve geral; veja quem para

Metroviários realizam assembleia para definição da greve, na sede do sindicato, no bairro do Tatuapé em São Paulo (SP) - 14/03/2017 (Willian Moreira/Futura Press/Folhapress)

A paralisação é um protesto contra as reformas trabalhista e da Previdência propostas pelo governo de Michel Temer


Até a tarde desta segunda-feira, mais seis sindicatos confirmaram que vão aderir à mobilização do dia 28 de abril, proposta pela Central Única dos Trabalhadores (CUT) e outras centrais sindicais contra às reformas trabalhista e previdenciária do governo do presidente Michel Temer. Na última sexta-feira, sete sindicatos (dos metroviários, rodoviários, bancários, correios, servidores municipais, professores municipais e professores estaduais) haviam decidido fazer parte do protesto e paralisar suas atividades.

As centrais estão organizando um ato que começa às 17h no Largo da Batata, na zona oeste de São Paulo, seguida de uma caminhada até a casa do presidente Temer. No dia 1º de maio, quando é celebrado o Dia do Trabalho, a CUT planeja um ato político na avenida Paulista. Veja quem para:

Sindicato dos Professores de São Paulo (Sinpro-SP)
Os professores das escolas privadas do estado de São Paulo confirmaram que vão aderir à greve geral na tarde da última sexta-feira. Os pedagogos estão fazendo um trabalho de mobilização que envolve visitas às escolas e distribuição de boletins, adesivos e camisetas.
Além de São Paulo, professores de outros estados também irão paralisar as atividades, como os docentes do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Bahia e Alagoas.
Federação dos Trabalhadores em Segurança e Vigilância Privada (Fetravesp)
Os trabalhadores dessa categoria também aderiram às paralisações da próxima sexta-feira. Em comunicado no site do sindicato, a federação pede que os trabalhadores participem do ato no Largo da Batata.
Sindicato dos Mensageiros Motociclistas, Ciclistas e Mototaxista Intermunicipal do Estado de São Paulo (SindimotoSP)
O sindicato confirmou a participação nas paralisações e no ato do Largo da Batata, juntamente à União Geral dos Trabalhadores (UGT).
Federação Nacional dos Petroleiros (FNP)
A federação confirmou que vai paralisar as atividades durante o dia 28 de abril para aderir à greve geral. Os cinco sindicatos filiados à FNP também irão participar da paralisação, como o Sindicato dos Petroleiros do Litoral Paulista.
Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias da Construção Civil de São Paulo (Sintracon – SP)
O sindicato irá paralisar suas atividades no dia 28 de abril, para aderir à greve geral.
Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes / ABC 
Tanto o sindicato dos trabalhadores da região de São Paulo e Mogi das Cruzes, quanto os do ABC confirmaram que irão aderir à greve geral da próxima sexta-feira e participar da manifestação no Largo da Batata.
Sindicato dos Metroviários de SP
Os metroviários confirmaram a participação na greve. A paralisação será durante o dia inteiro. Os sindicalistas estão fazendo divulgação do ato nas estações de metrô e dentro dos vagões.
Sindicato dos Rodoviários
O Sindicato dos Rodoviários do ABC confirmou paralisação durante todo o dia 28 de abril. A greve irá atingir as empresas de ônibus de todas as cidades do Grande ABC.
Sindicato dos Bancários de SP e região
Os trabalhadores do sindicato também irão parar durante todo o dia de greve.
Sindicato dos Correios
O sindicato irá antecipar a greve para o dia 26 de abril, às 22h, e promete manterá a paralisação por tempo indeterminado. As reivindicações da categoria incluem críticas à gestão da empresa, como proibição de férias até maio de 2018, defasagem salarial e congelamento de contratações de funcionários desde 2011.
Sindicato dos Servidores Municipais de SP
O sindicato confirmou participação na greve geral do dia 28, mas ainda não determinou se a paralisação durará o dia inteiro.
Sindicato dos Professores Municipais (SINPEEM) e Estaduais (APEOESP):

As duas categorias irão parar durante todo o dia 28 de abril. O protesto será contra as reformas do presidente Michel Temer e a reposição salarial.
Fonte Veja

Marqueteiros dizem ao TSE que Dilma sabia de caixa dois na campanha de 2014


João Santana e Mônica Moura depõem contra chapa Dilma e Temer 


A marqueteira Monica Moura disse na ação do TSE que julga a cassação da chapa Dilma-Temer que discutiu diretamente com a ex-presidente pagamentos de caixa um e caixa dois na campanha de 2014. Segundo depoimento de Monica, a conversa com Dilma aconteceu no Palácio do Planalto. Depois, a marqueteira foi encaminhada para acertar pagamentos por fora com o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega. Mantega encaminhou, então, a marqueteira para a Odebrecht, que cuidou dos pagamentos por fora. João Santana também falou na ação do TSE. Diferentemente do que aconteceu na campanha de 2010, Dilma teria dito ao marqueteiro que ela cuidaria da campanha de 2014. Segundo os marqueteiros, foram cobrados R$ 105 milhões na campanha de 2014 pelos serviços prestados pela dupla: R$ 70 milhões declarados e R$ 35 milhões por caixa dois. Mas eles não teriam recebido todo o valor por fora. Nas contas dos marqueteiros, dos R$ 35 milhões do caixa dois eles dizem ter recebido cerca de R$ 10 milhões. Motivo: a Lava Jato. O relato dos marqueteiros registra que o valor seria pago em 2015, mas, com o avanço das investigações da Lava Jato, o pagamento foi sendo adiado. Com a prisão de Marcelo Odebrecht, a situação complicou ainda mais. E o responsável pelo setor de propinas da construtora Fernando Migliaccio, foi transferido do Brasil. Era Migliaccio o responsável por pagar a marqueteira. Desta forma, afirmam os marqueteiros, a Odebrecht não pagou o que faltava.


SENADO GOLPISTA; DILMA FERRADA. #JornalDaJoice


Baleia Azul na Bahia: Feira de Santana registra primeiro caso de tentativa de suicídio


O jogo virtual que tem preocupado pais pelo mundo afora com suicídio de adolescentes, o Baleia Azul, teve um caso registrado na cidade de Feira de Santana. Segundo informações do site De Olho na Cidade, a mãe de uma adolescente procurou a delegacia para informar que notou comportamento atípico da filha de 14 anos. O jogo em tese consiste no cumprimento de 50 desafios, onde o último é tirar a própria vida. "Eu vi na TV uma orientação de uma psicóloga para nós, pais, denunciarmos esse grupo que incentiva o jogo. Eu recebi um link alertando para esse jogo e pedindo para conversar com os filhos e, ainda sem saber de nada, mandei para ela e ela me mandou uma foto do braço cortado. Quando eu perguntei porque ela tinha se cortado, ela começou a chorar e disse que tinha perdido quatro desafios [do jogo]. Procurei a escola e soube que ela já tinha conversado com a psicóloga, porém pra mim ela negou e não me disse absolutamente nada", relatou a mãe. Ainda segundo a mãe da adolescente, a filha vinha ficando durante muito tempo dentro do quarto, só saía para ir à escola. "Aparentemente, ela está normal. Só após eu receber o link comecei a perceber as mudanças de comportamento. Eu já tentei procurar esse grupo e não consigo ter acesso", disse. "Depois que eu descobri, ela está mais quieta, mais retraída, não está mais brincando tanto com a irmã e também está triste. Tanto que vai continuar com o acompanhamento psicológico na escola", contou. Juazeiro - Nesta quinta-feira (20), foi encontrado o corpo da adolescente Ana Vitória Sena de Oliveira, 15 anos, que teria participado do jogo Baleia Azul. Ela foi encontrada morta por pescadores no início da tarde desta quinta-feira (20), no rio São Francisco, na região do Porto do Jatobá, em Petrolina, sertão de Pernambuco.

E o Temer quer cobrar dos trabalhadores! Dívidas com INSS superam R$ 400 bi; Varig e JBS lideram lista de devedoras


A farsa do rombo da previdência, defendido pela mídia e políticos


As recentes mudanças que abrandaram as regras propostas na reforma da Previdência foram insuficientes para agradar aos parlamentares, que seguem pedindo uma ação mais incisiva do governo em ações para incrementar a arrecadação do INSS. Um dos alvos é a lista bilionária de devedores da Previdência Social. De acordo com a Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional (PGFN), o estoque da dívida ativa previdenciária chegou a R$ 427,73 bilhões no fim do ano passado. Três das cinco maiores devedoras estão falidas, de acordo com o acompanhamento da PGFN: Varig (R$ 3,7 bilhões), Vasp (R$ 1,7 bilhão) e Bancesa, banco cearense quebrado em 2004 (R$ 1,4 bilhão). Mas as outras duas estão em operação. Uma delas é a JBS, segunda maior empresa de alimentos do mundo, com dívida de R$ 1,84 bilhão. Também está no "pódio" a Associação Educacional Luterana do Brasil (Aelbra), mantenedora da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra), que recentemente enfrentou problemas financeiros e de gestão. A elevada dívida previdenciária é tida como privilégio pelos parlamentares, que acusam o governo de não atacar o problema. Na lista de inadimplentes estão empresas ligadas ao poder público, como a Caixa Econômica Federal, com débito de R$ 549,5 milhões; os Correios, com dívida de R$ 378 milhões; e o Instituto de Previdência do Estado do Rio Grande do Sul (Ipergs), que cuida das aposentadorias dos servidores gaúchos. A dívida do Ipergs com o INSS é de R$ 395,5 milhões. Expostos à pressão de diversas categorias contrárias à reforma, os parlamentares cobram uma reação do governo. O relator, deputado Arthur Maia (PPS), inseriu em seu relatório um dispositivo que pode facilitar a cobrança de parte da dívida. Segundo a regra, os acionistas controladores, administradores, gerentes, diretores e prefeitos respondem solidariamente, "com seu patrimônio pessoal", caso os pagamentos das contribuições sejam atrasados de forma intencional ou por culpa desse agente. Além disso, o Congresso quer intensificar a fiscalização sobre os números da Previdência. O deputado Roberto de Lucena (PV-SP) vai protocolar, no início da próxima semana, uma Proposta de Fiscalização e Controle (PFC) na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público. A iniciativa prevê o apoio do Tribunal de Contas da União (TCU) para realizar auditoria que vai mirar as contas da Previdência e as dívidas. "Estamos pagando a conta da má gestão dos recursos e jogando novamente para cima do trabalhador", diz Lucena, cujo partido integra a base do governo do presidente Michel Temer. "A sociedade vai entender que a reforma é justa se ela também enfrentar privilégios", afirma. No Senado já há uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Previdência que aguarda para ser instalada. A iniciativa partiu do senador Paulo Paim (PT-RS), mas foi endossada por aliados do governo, incluindo o líder no Senado, Romero Jucá (PMDB-RR). Segundo Jucá, a CPI é importante para desmistificar de vez as diversas versões de a Previdência no Brasil "dá lucro e não está quebrada".
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha lista de blogs

Google+ Followers