quarta-feira, 19 de abril de 2017

Gostosa! Adriane Galisteu chega aos 44 anos em plena forma; veja seus cliques mais ousados


Mulher bonita não tem idade, tem qualidade...! (Carlinhos Lima)


Adriane Galisteu faz aniversário nesta terça-feira. Dos 44 anos da apresentadora, 22 deles ela estava sob os holofotes do Brasil (e do mundo) depois da morte do piloto Ayrton Senna, que foi seu namorado. Galisteu resistiu ao tempo como personalidade, mas também quando o assunto é sua forma física. Em plena forma e mãe de um filho, ela teve também uma carreira marcada pela ousadia. A gente relembra alguns de seus cliques mais provocantes. Parabéns!













Fotos reprodução da web

Idiotices da internet: O jogo “Baleia Azul” só aumenta o sofrimento’, diz sobrevivente salva pela mãe


Jogo idiota e perigoso

Mariana (nome fictício), de 15 anos, sente o peito vazio. Não sabe explicar bem o que é. Só sofre. Desacreditou no amor da mãe, no contato com outros seres humanos e na fé evangélica da criação que recebeu na Zona Oeste do Rio. Entregou-se ao que agora viu ser uma falsa esperança: o Baleia Azul, uma série de 50 ordens que desconhecidos dão a adolescentes; a última, exige o suicídio do jovem. Mariana só está viva porque a mãe conseguiu impedir o fim trágico.
“Quem tiver com vontade de entrar no Baleia Azul, não faça isso. Só vai te causar coisas ruins. Em vez de parar sua tristeza, só vai aumentar. E vai acumular, e vai acumular… E quando você vê, já vai estar vazio por dentro e por fora. Apostem numa coisa que você gosta. Talvez numa música de que você gosta. Talvez você se sinta melhor. Porque eu sei o quanto dói, mas não vai ser um jogo que vai te fazer parar de sentir dor. E nem a morte”, desabafa a menina.
Mariana não está sozinha. Só no Brasil, há, pelo menos, dois casos de morte sob investigação policial, em Mato Grosso e na Paraíba. A delegada interina da Delegacia de Repressão aos Crimes de Informática (DRCI) do Rio, Fernanda Fernandes, organiza o rastreamento de redes sociais de pessoas que teriam envolvimento com o Baleia Azul. Já há, pelo menos, mais dois casos na cidade em investigação. Os responsáveis podem responder por associação criminosa, lesão corporal e tentativa de homicídio.
Mariana foi internada após a mãe descobrir que ela estava participando do jogo, e já estava na 15ª ordem. A menina teve alta após dois dias e acabou tentando suicídio. A mãe, que abandonou o trabalho por preocupação, conseguiu impedir que o pior acontecesse.
A dor da mãe a fez recuar. Vez por outra, Mariana diz que sente vontade de desistir, mas tenta mudar de pensamento. Está em tratamento, e sonha em ser fotógrafa. “Minha mãe me disse que fazia tudo para eu ficar viva. E eu entendi. Às vezes eu penso (na morte), mas aí eu penso no meu futuro”, conta a menina.
Mensagens
O jogo consiste em uma série de 50 desafios, que devem ser cumpridos diariamente e que chegam por meio de mensagens (WhatsApp, Facebook, SMS e outros aplicativos e redes sociais).
Tarefas
Há desde tarefas simples, como desenhar uma baleia num papel, até outras muito mais mórbidas, como cortar os lábios ou furar a palma da mão. Em outra tarefa, o participante deve “desenhar” uma baleia em seu antebraço com uma lâmina.
Desafio mais macabro
O 50º desafio é sempre o mesmo: suicídio.
Como começou
Na Rússia, em 2015, uma jovem de 15 anos se jogou de um edifício. Dias depois, uma adolescente de 14 anos se atirou na frente de um trem. Após investigar, a polícia ligou os fatos a um grupo que participava de um desafio com 50 missões, sendo a última delas acabar com a própria vida.

Vingança cruel! Grupo armado invade velório e ateia fogo no corpo de criminoso que matou policial


Fogo do "inferno"


Um grupo de bandidos armados e encapuzados invadiu o velório de um assaltante, na tarde da última segunda-feira (17) e incendiou um caixão com o corpo dentro. O homem que havia morrido era suspeito de participação no assassinato de um policial militar no último fim de semana. O fato ocorreu na cidade de Morada Nova, região de Fortaleza, onde o corpo do bandido, identificado como Daniel Amaro da Silva, 19 anos, o “Daniel do Prourb”, era velado na residência de seus familiares, no bairro Divino Espírito Santo. Na noite de domingo (16), ele tombou morto numa troca de tiros com policiais militares na comunidade do Alto Tiradentes. “Daniel do Prourb” era considerado de alta periculosidade, assaltante e foragido da Justiça, além de suspeito de ter participado do tiroteio dentro de um clube de forró, na localidade Capim Grosso, na zona rural do Município de Russas, na madrugada de domingo. No tiroteio, o soldado PM Menandro Cavalcante Nunes, 33 anos (foto), tombou sem vida. Ele era destacado na Companhia do Batalhão Raio (BPRaio), da cidade de Russas, e estava de folga. Desde o momento do tiroteio, em que morreram também dois homens identificados apenas por “Preto” e “Marcão”, além de um jovem, vítima de bala pedida, a Polícia fazia diligências para capturar o restante do bando. No domingo à noite, surgiu a informação de que “Daniel do Prourb” estaria escondido na periferia de Morada Nova e, logo, foi montado um cerco policial. Ocorreu um novo confronto a tiros e o bandido foi ferido mortalmente. Conforme o relato de familiares de Daniel, a casa onde acontecia o velório foi invadida por vários homens encapuzados que chegaram ali em um carro de placas não anotadas. Eles mandaram que as pessoas se retirassem da residência. Em seguida, derramaram gasolina sobre o caixão e atearam fogo. Após a fuga do bando, os parentes retornaram para a casa e constataram que o corpo de Daniel estava parcialmente carbonizado.

Garota de 15 anos desaparece na Bahia e família suspeita de jogo da ‘Baleia Azul’

Adolescente de 15 anos escreveu carta antes de desaparecer | Foto: Reprodução/ WhatsApp

A adolescente Ana Vitória Sena de Oliveira, de 15 anos, desapareceu por volta do meio-dia de segunda-feira (17), na cidade de Juazeiro, norte da Bahia, e a família suspeita que o sumiço tenha relação com o jogo da “Baleia Azul”. A irmã da garota Maria Daniela Sena, de 16 anos, conta que a última vez que viu a adolescente foi quando saiu para pegar um ônibus no residencial onde a família mora. Os parentes perceberam o desaparecimento e encontraram uma carta de despedida. “Ela deixou uma carta, pedindo desculpa e disse que iria pular da ponte que liga Juazeiro a Petrolina [PE]. Nós mexemos no celular dela e achamos no WhatsApp as mensagens do jogo da Baleia Azul”, disse ao G1. Ana morava junto com a irmã Maria, um irmão e a mãe, no Residencial Itaberaba 2. Maria Daniela diz ainda que a irmã não constumava sair de casa sem dar notícias. A mãe da adolescente está em estado de choque. O caso ainda não foi registrado na Polícia Civil. A família diz ter procurado o posto policial do bairro para registrar o desaparecimento. O jogo da “Baleia Azul”, que propõe 50 desafios aos adolescentes e sugere o suicídio como última etapa, preocupa pais, alunos e professores no Brasil. Há pelo menos dois casos de morte sob investigação policial, em Mato Grosso e na Paraíba, além de uma tentativa de suicídio, no Rio de Janeiro, que supostamente podem ter relação com o jogo.

Lava Jato: Baiano, dono da OAS negocia acordo de delação e promete entregar ministro do STJ


Dono da construtora OAS, o empresário baiano Cesar Mata Pires negocia com a Procuradoria-Geral da República (PGR) um acordo de delação premiada que pode implicar um ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), além de outros magistrados. De acordo com informações do jornal Valor Econômico, a empresa já indicou mais de 20 delatores para o acordo, incluindo o ex-presidente, Léo Pinheiro, o dono do grupo, Cesar Mata Pires, além de dois filhos. Caso as negociações avancem, a Lava Jato pode ter a primeira citação a um ministro do STJ em uma delação.

As "palestras do Lula": Gogó de 8 milhões de dólares


Alexandrino Alencar, na sua delação à PGR, disse o seguinte sobre as palestras de Lula: "Que me conste, as quarenta e tantas palestras que ele fez foram todas US$ 200 mil dólares”. Lula, portanto, recebeu mais de 8 milhões de dólares da Odebrecht, só pelas "palestras". Esse é um dinheiro que não consta da planilha Amigo.




Bahia: Acordo entre Odebrecht e governo sobre Cerb foi coordenado por Rui Costa, aponta delator


Sem ser citado formalmente pela Procuradoria Geral da República após o acordo de colaboração premiada dos ex-executivos do Grupo Odebrecht, o governador Rui Costa (PT) teria sido coordenador do acordo entre a empresa e o governo do Estado para resolução do litígio judicial envolvendo a Companhia de Engenharia Hídrica e de Saneamento da Bahia (Cerb). A informação consta no depoimento do ex-diretor de Relações Institucionais da Odebrecht, Cláudio Melo Filho, utilizado para encaminhar o pedido de autorização de inquérito remetido para o Tribunal Regional Federal da 1ª Região contra o ex-governador e secretário de Desenvolvimento Econômico da Bahia, Jaques Wagner. Segundo Melo Filho, um acordo celebrado entre André Vital, ex-diretor superintendente, Benedicto Júnior, ex-diretor da Odebrecht Infraestrutura, e Jaques Wagner condicionava o repasse de cerca de R$ 30 milhões para campanhas do PT ao longo de oito anos à solução de um litígio de R$ 390 milhões entre a empresa e a Cerb. “Ficou combinado entre eles que, se recebesse R$ 290 milhões, esse valor certamente seria dividido em anos, porque não seria de forma imediata, e eles, o André [Vital], o [Benedicto] Junior e o Marcelo [Odebrecht] estariam dispostos a fazer uma contribuição do valor de R$ 30 milhões ao longo do tempo para campanhas que viessem a ter”, sugere Melo Filho, citando nominalmente Rui Costa, à época chefe da Casa Civil de Wagner, como o responsável, por parte do governo da Bahia, para cumprir a resolução da demanda judicial – que se arrastaria desde a década de 1990. “O governador estabeleceu que esse assunto seria tratado pelo secretário Rui Costa, que viria a ser candidato ao governo, e o André Vital foi quem tratou com o senhor Rui Costa”, explicou o delator.

André Vital fala de acordo para doar na campanha de 2014 na Bahia






O imbróglio envolvendo Odebrecht e a Cerb seria, de acordo com Melo Filho, uma tentativa de minorar os efeitos de demandas por aditivos para que a Arena Fonte Nova estivesse completamente estruturada para a Copa das Confederações em 2013, inicialmente não previstos contratualmente. “Durante o ano de 2013, praticamente nada avançou com relação a esse assunto. Quando chegou em 2014, quando a gente estava fazendo o planejamento de campanha que ia acontecer, Marcelo pediu que procurasse Cláudio Melo Filho para dar um recado ao senhor governador Jaques Wagner dizendo que qualquer apoio de campanha ao candidato ao governo do estado da Bahia do PT estaria condicionado à resolução definitiva do assunto da Cerb”, detalhou André Vital, também em colaboração premiada. “Ficou acertado que o governo da Bahia pagaria um total de R$ 290 milhões por nosso direito em oito anos e seria feito um pagamento de R$ 100 milhões ao longo de 2014. E ficou decidido que, na semana seguinte, faríamos os trâmites burocráticos para o acordo e a companhia apoiaria as campanhas do PT, ao longo desses anos de desembolso, oito anos, no montante de R$ 30 milhões. Dos quais o governador pediu que R$ 10 milhões fosse feito em 2014”, completou o ex-diretor-superintendente.

Vital relata que o acordo foi firmado formalmente apenas às vésperas da eleição de 2014 e que, na sexta-feira imediatamente anterior ao pleito, 3 de outubro, recebeu uma ligação de Wagner para cobrar a colaboração de campanha da contrapartida envolvendo a Cerb. “Reportei a Benedicto Junior e ele liberou R$ 5 milhões para a campanha do candidato a governador do PT em 2014. Junior ficou de ver a forma de operacionalizar. Tinha sido feito via o Grupo Petrópolis”, explicou o ex-diretor-superintendente. De acordo com a prestação de contas de Rui Costa junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), o Grupo Odebrecht totalizou doações de R$ 929 mil, enquanto o Grupo Petrópolis efetuou doações de R$ 2,83 milhões, com R$ 2,65 milhões pagos, via direção estadual do PT, no dia 3 de outubro de 2014. Apesar de citarem nominalmente Rui Costa, Melo Filho e Vital negaram manter relações com o atual governador da Bahia.

Silvio Santos terá de devolver recursos da Caixa - tá explicado porque ele censura os telejornais do SBT

Sheherazade vai poder noticiar, Silvio?



Mesmo que escape da ação penal, Silvio deverá responder civilmente. O MPF quer a nulidade do acordo de investimento e a devolução integral dos recursos injetados pela CaixaPar no PanAmericano, corrigidos pela Selic.

Raquel Sheherazade, que levou bronca de Silvio Santos no Troféu Imprensa por comentar política, vai poder noticiar a operação Conclave, que apura lambanças no banco que pertencia ao patrão?

Silvio Santos, André Esteves, Guido Mantega e Lula


O Antagonista publicou alguns posts sobre a compra do banco Panamericano.
Eles ajudam a entender a operação de hoje:







Ridícula defesa da impunidade! Em Lisboa, Gilmar Mendes volta a diferenciar corrupção de Caixa 2


O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Gilmar Mendes, reforçou nesta terça-feira (18) que é preciso separar acusações relativas à caixa 2 das de corrupção dentro das investigações ligadas à Operação Lava Jato e que esse tema será apreciado pelo Supremo. "Tem que ver o que foi só doação de caixa 2. Uma coisa é acusar por caixa 2, outra é acusar por corrupção", afirmou a jornalistas pouco antes de participar de um evento na área de Direito, em Lisboa. A justiça eleitoral, salientou o ministro, entende que o caixa 2 "puro e simples" não é crime. Pode ser, conforme Mendes, um abuso de poder político ou econômico, mas não se tipifica no artigo 350 do código eleitoral. "A Procuradoria da República sustenta que seria crime e isso será discutido no Supremo", afirmou. Para ele, o andamento dos processos na Lava Jato é um "grande ganho" para o País. "Agora se encerra essa fase de investigação, que tem certa dosagem de arbítrio e discricionariedade. Quando o processo se judicializa, ele ganha outra racionalidade para todos, inclusive para os eventuais acusados", argumentou. A vantagem, de acordo com o ministro, é que os acusados passam a ter um devido processo legal e se encerra uma fase de "especulação, de vazamento, de pressões e contrapressões". Questionado sobre a participação durante seminário em Portugal de nomes citados nas investigações, Mendes, que é o principal organizador do evento, que está em sua quinta edição, minimizou a situação. "A toda hora tem algum investigado. Muitas pessoas estão sendo investigadas, mas estão sendo apenas investigadas. Nunca se sabe a priori, diante da dimensão que esse processo tomou, quem vai estar em uma lista", defendeu. Ele argumentou que os participantes vão expor no seminário sobre temas específicos. Sobre a sugestão da ex-ministra Eliana Calmon de que as investigações também precisam chegar ao Poder Judiciário, o ministro disse que a afirmação precisa ser examinada dentro de um contexto. "Muitos dizem que haverá uma delação no Rio de Janeiro que vai afetar o judiciário do Rio. É importante que tudo seja esclarecido da maneira mais devida possível", desconversou. Mendes participa do V Seminário Luso-Brasileiro de Direito, em Lisboa, promovido pela Escola de Direito de Brasília do Instituto Brasiliense de Direito Público (EDB/IDP) e pela Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa (FDUL). Entre os participantes do seminário estarão o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), o ministro do STF, Dias Toffoli, o ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ) e Corregedor Nacional do Conselho Nacional de Justiça, João Otávio de Noronha, os ministros do STJ Luis Felipe Salomão, Paulo de Tarso Sanseverino e Ricardo Villas Bôas Cuêva, o ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Benjamin Zymler e o diretor da FGV Projetos, Cesar Cunha Campos. Durante os três dias de seminário, serão promovidos debates sobre os sistemas políticos e eleitorais, a crise da democracia representativa e importantes questões de governança, associadas à mobilidade urbana, ao sistema de saúde público, à prevenção de crimes financeiros e ao papel das instituições reguladoras. Também será abordada a viabilidade de reforma do modelo de presidencialismo de coalizão.

Lava Jato no STF: Lula, Palocci, Raupp, Cunha e Eduardo Alves estão em lista secreta de Fachin

Foto: Agência Brasil

Nomes de destaque do PT e do PMDB estão na lista secreta do ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal (STF). O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, o ex-ministro Antonio Palocci, o senador Edison Lobão (PMDB-MA), o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB) são alguns dos alvos das 25 petições feitas pela Procuradoria-Geral da República e ainda mantidas em segredo pelo STF. De acordo com o Estadão, as petições têm como base as delações de executivos e ex-executivos da Odebrecht, mas tratam de fatos ainda não divulgados. No entanto, sabe-se que existem relatos de vantagens indevidas em nove campanhas eleitorais, que totalizam R$ 17,43 milhões - parte deste montante pago em dólar. Conforme detalha a publicação, Lula é citado quando se trata das operações da Odebrecht em Cuba, no Porto de Mariel, e em Angola. No país cubano, Fernando Pimentel - ex-ministro e atual governador de Minas Gerais - teria atuado com o ex-presidente para que fossem viabilizadas as obras da Odebrecht no porto. Já na África, a empreiteira assinou um contrato com a empresa Exergia, para prestação de serviços em Angola entre 2011 e 2014. A contratação teria sido feita para atender um pedido do próprio petista, já que a empresa é de propriedade de Taiguara Rodrigues, sobrinho da primeira esposa de Lula. Delatores afirmaram que a empresa não possuía qualquer experiência no ramo da construção e foi feita por Taiguara para usar influência do ex-presidente. As informações serão encaminhadas à Justiça Federal do Paraná, a pedido da PGR. Quanto a Antonio Palocci, o pedido é para investigar as afirmações de delatores de que ele pediu pagamentos a campanhas eleitorais da presidência do Peru e de El Salvador - neste último, foram pagos R$ 5,3 milhões a João Santana, para trabalhar na campanha de Maurício Funes, eleito em 2009. Delatores também apontaram o pagamento de US$ 3 milhões para a candidatura de Ollanta Humala à presidência do Peru. Em ambos os casos, os repasses foram feitos por intermédio do Setor de Operações Estruturadas, o "departamento de propina". Também estão sob sigilo informações a respeito do pagamento de caixa 2 em três campanhas no país. Foram repassados R$ 2 milhões para o ex-ministro Henrique Eduardo Alves (PMDB)na campanha para o governo do Rio Grande do Norte, em 2014, após pedido do prório candidado e do ex-deputado Eduardo Cunha. Rodrigo Janot informou que existe uma investigação prévia sobre o tema na Procuradoria da República do Rio Grande do Norte, e o ministro Edson Fachin autorizou a remessa para o estado. A campanha do senador Valdir Raupp teria recebido R$ 500 mil no pleito ao Senado em 2010. As informações serão incluídas nos dois inquéritos já existentes no Senado. Luiz Fernando Teixeira Ferreira, deputado estadual em São Paulo pelo PT, é apontado como beneficiário de R$ 300 mil em campanha que o elegeu em 2014. A petição foi enviada ao Tribunal Regional Federal da 3ª Região.

O fim das artimanhas do Lula! "O ‘pai dos pobres’ revelou-se, na verdade, o ‘pai dos ricos"

O país já é outro


O fim das artimanhas do Lula! "O ‘pai dos pobres’ revelou-se, na verdade, o ‘pai dos ricos"


Denis Rosenfield, no Zero Hora, descreveu o caráter mafioso da ORCRIM lulopetista:
“Para além do conteúdo das falas dos delatores, em particular as do patriarca Emilio Odebrecht e de seu filho Marcelo, chama particular atenção os seus modos respectivos de expressão, a naturalidade com a qual falam de seus crimes.
Para eles, tratava-se de uma prática que tinha se tornado normal, vindo a fazer parte de sua atividade empresarial, se é que esta expressão tinha algum significado para eles. Empresários, no sentido estrito, não o eram por eliminarem a concorrência, superfaturarem os preços, não inovarem e viverem de relações mafiosas com ‘seus’ políticos, em particular o chefe de todos eles, Lula. O relato da intimidade entre eles é espantoso. O suposto ‘pai dos pobres’ revelou-se, na verdade, o ‘pai dos ricos.
O grande empresário tinha se tornado ‘vermelho’, enquanto o ‘vermelho’ vendia os seus serviços ou os comprava conforme os benefícios deles e de seus respectivos comparsas. A máfia siciliana deve ter tido inveja deles (…).
Imaginem se os ganhos da corrupção, dos superfaturamentos, dos oligopólios dessas empreiteiras e dos políticos fossem destinados, como de direito, para toda a população.
O país seria, seguramente, outro. Já o é, em certo sentido, por ter começado a limpeza.”

Momento Antagonista: República Bolivariana da Odebrecht

  

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha lista de blogs

Google+ Followers