quinta-feira, 23 de março de 2017

Monstruosidade e covardia! Suspeito confessa que asfixiou e estuprou mulher acorrentada à cama, diz polícia

  estuprou mulher acorrentada à cama, diz polícia
Simone foi encontrada amarrada em cama (Foto: Reprofução/Facebook)

Polícia Civil fez acareação com os dois suspeitos do crime em Rio Preto (SP). Delegado suspeitava que vítima tinha sido asfixiada.


Os dois suspeitos de matar e acorrentar à cama uma mulher em São José do Rio Preto (SP) estiveram nesta quinta-feira (23) frente a frente com o delegado que investiga o caso para uma acareação. A polícia pôde comparar os depoimentos de Francisco Lopes Ferreira e Juvenal Pereira dos Santos, que moravam juntos na chácara onde aconteceu o homicídio. Francisco, que já tinha confessado o crime, acabou, segundo a polícia, assumindo que asfixiou e abusou sexualmente de Simone de Moura Facini Lopes, de 31 anos. Já Juvenal nega, desde o dia da prisão dele, que tenha alguma participação no homicídio. Juvenal foi levado para a Delegacia de Investigações Gerais por uma equipe da polícia. Ele está preso desde sexta-feira (17), quando foi levado para a cadeia de Catanduva (SP). Foi ele quem ligou para a polícia no dia do crime para falar que encontrou o corpo da vítima. Francisco Ferreira teve alta hospitalar nesta quinta-feira (22), passou a noite na carceragem do plantão policial. Foi a primeira vez que os dois foram colocados frente a frente, depois de serem presos. Apesar de Francisco ter assumido que cometeu o homicídio sozinho, as versões individuais apresentadas pelos suspeitos não batem com as evidências da polícia

Francisco é colocado na viatura da polícia ao sair do hospital (Foto: Reprodução/TV TEM)


A acareação durou mais ou menos duas horas. Dessa vez, falando de frente para o parceiro, Francisco assumiu agressões contra a vítima que vinha negando. “Assim que Francisco chegou foi mostrada uma foto da necropsia da Simone e assim que ele viu a foto ele confessou que a esganou. Ele também comprovou o estupro, na legislação de hoje, que seria atentado violento ao pudor na legislação anterior”, afirma o delegado Alceu Lima de Oliveira Júnior. Em relação às roupas de Simone que a polícia não encontrou, Francisco disse que ainda estão na chácara, onde o crime aconteceu. O que Juvenal não conseguiu explicar foram as ligações dele para a Polícia Militar desde 19h do dia do homicídio. Segundo a polícia, foram cinco ligações até as 22h e, em uma delas, ele falou sobre o crime. Ele falou que se lembra só da última ligação.





A polícia agora aguarda a conclusão do laudo da perícia e a reconstituição do crime para terminar o caso. Por enquanto, os dois suspeitos continuam presos temporariamente. Juvenal Pereira dos Santos nega, desde o dia da prisão dele, que tenha alguma participação no crime. O marido de Simone, César Augusto Lopes, disse em entrevista para a TV TEM que evita saber detalhes sobre o que aconteceu com a mulher. Ele diz que prefere se poupar, mas soube por familiares que Francisco confessou o crime. Lopes conta que, além de alfabetizar Francisco, a mulher levava comida para o suspeito todos os dias na hora do almoço e, às vezes, ia à noite também. "Ela ia fazer a alfabetização, o estudo bíblico, e fazia com amor. De vez em quando, eu a via pegar o caderninho corrigir os estudos dele e organizar para o próximo dia. A gente não consegue imaginar como um ser humano pode fazer esta atrocidade que ele fez com minha esposa, que só fez o bem para ele", afirma.

Francisco ao chegar para fazer acareação na Polícia Civil (Foto: Reprodução/TV TEM)


O crime 

A vítima frequentava a chácara, onde foi encontrada morta e acorrentada à cama, há cerca de seis meses. O crime aconteceu no domingo, dia 12 de março. Segundo a família, Simone ensinava Francisco, que tem 64 anos, a ler e a escrever. Francisco deu depoimento para a Polícia Civil dentro do Hospital de Base. No vídeo (veja acima), ele conta o que aconteceu no dia do crime e o que o motivou a matar Simone. De acordo com o delegado Alceu Lima de Oliveira Junior, ele confessou a forma que desferiu as marretadas, o modo que a acorrentou, o horário e como todos os fatos se desenvolveram. Segundo a família, a voluntária saiu de casa por volta das 11h e, no final da tarde, ainda não tinha voltado. A família ficou preocupada, mas quando o marido foi até a chácara o crime já tinha acontecido. De acordo com o boletim de ocorrência, Simone estava seminua e foi presa com correntes que prendiam pés e mãos, todas fechadas com cadeados. A vítima tinha ferimentos graves na cabeça. Uma marreta com marcas de sangue, possivelmente usada no crime, foi apreendida. Segundo a polícia, Juvenal, que mora na casa com Francisco, foi quem chegou primeiro na cena do crime e chamou a polícia. Ele entregou aos investigadores a marreta. Já o aposentado que recebia a ajuda de Simone não estava no local e ficou desaparecido por 10 dias. A Polícia Científica esteve no local e coletou materiais, que devem ajudar nas investigações.

Propinão! Ao TSE, Marcelo Odebrecht diz que Dilma sabia de todas as doações por caixa 2

 sabia de todas as doações por caixa 2
Marcelo Odebrecht e Dilma Rousseff (Foto: Giuliano Gomes/PR PRESS; Dida Sampaio/Estadão Conteúdo)

Empreiteiro revelou que pagou R$ 50 milhões à campanha do PT como 'contrapartida' a aprovação de MP em 2009; Dilma chamou declarações de 'levianas' e exigiu que empresário comprove.



O empresário Marcelo Odebrecht, ex-presidente da empreiteira Odebrecht, afirmou em depoimento ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no início de março que a ex-presidente Dilma Rousseff sabia da "dimensão" das doações por meio de caixa 2 feitas pela empresa à campanha da petista à reeleição. A informação foi divulgada pelo site "O Antagonista" e confirmada posteriormente pela TV Globo. O executivo falou ao TSE como testemunha nas ações que tramitam no tribunal pedindo a cassação da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer por suposto abuso de poder político e econômico na eleição presidencial de 2014. Em nota, a ex-presidente Dilma negou as informações, chamou a declaração de "leviana" e pediu que o empresário comprove o que disse ao tribunal (leia a íntegra da nota ao final desta reportagem). Ao ser questionado pelo juiz auxiliar Bruno César Lorencini sobre se teria conversado com Dilma a respeito da campanha de 2014, Marcelo Odebrecht negou. Ele, porém, disse que a então presidente e candidata à reeleição sabia da "dimensão" das doações e que os pagamentos não constavam da prestação de contas do PT. "A Dilma sabia da dimensão da nossa doação, e sabia que nós éramos quem doá... quem fazia grande parte dos pagamentos via caixa dois para [o marqueteiro] João Santana. Isso ela sabia", disse Odebrecht no depoimento. Questionado novamente sobre as doações, dessa vez pelo ministro Herman Benjamin, Marcelo Odebrecht afirmou: "O que Dilma sabia era que a gente fazia, tinha uma contribuição grande – a dimensão da nossa contribuição era grande, ela sabia disso – e ela sabia que a gente era responsável por muitos pagamentos para o João Santana. Ela nunca me disse que sabia que era caixa 2, mas é natural, é só fazer uma... ela sabia que toda aquela dimensão de pagamentos não estava na prestação do partido", disse o empresário.

Ele reiterou, em outro momento do depoimento, que nunca ouviu de Dilma que ela sabia que os repasses eram feitos de forma irregular. "Eu não sei especificar o momento em que eu tive essa conversa com ela, mas isso sempre ficou evidente, é que ela sabia dos nossos pagamentos para o João Santana. Isso eu não tenho a menor dúvida", complementou.

Lula e Palocci 

Marcelo Odebrecht afirmou no depoimento que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o ex-ministro da Casa Civil Antônio Palocci foram os responsáveis por arrecadar dinheiro para a campanha de Dilma Rousseff à Presidência em 2010. Durante o depoimento, o empreiteiro narrou que, a partir de 2011, quando Dilma já exercia seu primeiro mandato, a petista passou a tratar da "relação" do PT com a Odebrecht. Antes, segundo ele, quem cuidava da arrecadação para o partido era Palocci e, durante a campanha de 2010, Lula. "Ela [Dilma] começou a cuidar, digamos assim, da relação - porque 2010 ela praticamente nem olhou as finanças, acho que todos os pedidos de doação foram feitos por Lula, Palocci, ela nem se envolvia em 2010", afirmou o ex-presidente da Odebrecht. Em nota (leia a íntegra ao final desta reportagem), o Instituto Lula informou que o ex-presidente "jamais solicitou qualquer recurso indevido para a Odebrecht ou qualquer outra empresa para qualquer fim".

Campanha à reeleição 

No depoimento, Marcelo Odebrecht disse ao ministro que "inventou" a campanha de Dilma à reeleição em 2014. Como exemplo, disse que os valores a serem doados para a equipe da petista foram definidos por ele. "A campanha presidencial de 2014, ela foi inventada primeiro por mim, tá? E... eu não me envolvi na maior parte das demais campanhas, mas a... a eleição presidencial foi... eu conheço ela... os valores foram definidos por mim", afirmou o empresário. Além disso, Odebrecht afirmou que em 2014 a ex-presidente orientou a empresa a concentrar todos os recursos que seriam doados ao PT para a campanha dela à reeleição. O empresário disse, porém, que, antes disso, Dilma nunca havia pedido "nada para ela". Segundo ele, em uma conversa com Guido Mantega, o ex-ministro relatou a ele: "Marcelo, a orientação dela [Dilma] é que todos os recursos de vocês vão para a campanha dela. Você não vai mais doar para o PT, você só vai doar para a campanha dela, basicamente para as necessidades da campanha dela: João Santana, Edinho Silva ou esses partidos da coligação".

Contrapartida 

Em outro trecho do depoimento, ele disse que a empresa doou R$ 150 milhões à chapa Dilma-Temer na eleição de 2014, mas não precisou quanto do valor foi doado por meio do caixa oficial e quanto entrou via caixa dois. "Cento e cinquenta [milhões]. [...] Nós tínhamos uma relação intensa com o governo. Essa relação intensa, ela gerava também a expectativa de que a gente fosse um grande doador. Então, eu, para não ser pego de calças curtas, eu sempre tentava negociar com meus empresários um valor que, na hora que viesse essa demanda do governo, eu tivesse, da parte deles, uma segurança de que esse recurso haveria", explicou o empresário. Desse valor, segundo o depoimento, R$ 50 milhões seriam uma "contrapartida específica" à aprovação em 2009, pelo Congresso, de uma medida provisória que beneficiava diversas empresas do setor. A medida provisória 470/2009, conhecida como MP do Refis, foi editada pelo governo do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). "Nesse caso desses cento e cinquenta, tem um detalhe específico que é o seguinte: cinquenta milhões, desses cento e cinquenta, de fato, veio em cima de um pedido, de uma contrapartida específica, de um tema que é de 2009. Então, em 2009, houve, de fato, para esse caso, uma contrapartida específica para a aprovação de um projeto de lei que atendia a várias empresas. E esses cinquenta milhões vieram com um pedido para a campanha de dois mil e dez. Só que acabou não indo para a campanha de 2010, não sendo utilizado na campanha de 2010, e acabou sendo utilizando na campanha de dois mil e quatorze", afirmou. Segundo Odebrecht, o acerto para a doação de R$ 50 milhões foi feito diretamente com o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega. O empresário disse que Mantega era o responsável no governo Dilma por tratar de doações com as empresas. Antes, durante o governo Lula, o responsável por tratar de pagamentos ao governo e ao PT era o também ex-ministro Antônio Palocci, de acordo com Marcelo Odebrecht. "Então, você estava no meio de negociação para discurtir Refis, várias empresas. Eu não sei que tipo de abordagem eles fizeram com as outras empresas, não tenho conhecimento. Sei que, no meu caso específico, em... em uma dessas reuniões, acho – porque eu tinha reuniões com outras empresas, eu tinha algumas reuniões a sós – em uma delas, ele [Guido Mantega] anotou no papel e disse: 'Olha, Marcelo, eu tenho a expectativa de que você contribua para a campanha de 2010 com cinquenta milhões'. Isso foi com o Guido", disse. De acordo com o ex-presidente da Odebrecht, o valor acabou ficando para 2014 porque, segundo ele, Mantega só se envolveu diretamente e passou a solicitar recursos para o PT a partir de 2011, "quando o Palocci saiu da Casa Civil". "Até então, era com o Palocci a maior parte dos pedidos que tinha o PT", complementou.

Conta do PT na Odebrecht 

No depoimento, Marcelo Odebrecht disse que o PT tinha uma conta corrente na empreiteira que era utilizada, inclusive, para pagamentos que deveriam ser feitos ao marqueteiro João Santana. De acordo com o empresário, a conta foi administrada inicialmente pelo ex-ministro Antônio Palloci e, em um segundo momento, por Guido Mantega. Segundo Odebrecht, a conta, embora administrada por petistas, tinha como principal objetivo atender às necessidades da Presidência da República, primeiro de Lula e depois de Dilma. "Quando eu digo PT é com a Presidência, quer dizer, Guido... Não tinha envolvimento, não tinha nada a ver com a relação dos meus outros empresários – certo? – com o PT. Não tinha relação, por exemplo, com o [João] Vaccari, algumas vezes a pedido de Palocci ou Guido, a gente ajudou o Vaccari a fechar a conta do PT. Mas o Vaccari foi e pediu para eles, eles me pediram e eu autorizei, porque saiu da conta. Mas não tinha relação [com o PT]", disse no depoimento.

'Amigo' 

De acordo com a reportagem do "Antagonista", confirmada pela TV Globo, documentos apresentados pela Odebrecht ao TSE apontam que houve movimentação financeira na conta corrente mantida pela empreiteira e vinculada ao PT. A movimentação teria sido feita entre outubro de 2013 e março de 2014 pelo ex-presidente Lula. Em uma planilha enviada ao tribunal, há três codinomes vinculados à conta: "Itália", "Amigo", e "Pós Itália". Segundo Marcelo Odebrecht, os codinomes se referiam, respectivamente, a Antônio Palocci, Lula e Guido Mantega. Na planilha, há dados sobre o saldo em 22 de outubro de 2013, que era de R$ 71 milhões. Em 31 de março de 2014, o saldo da conta era de R$ 66 milhões. A assessoria de Lula diz que o ex-presidente "não tem nenhuma relação com qualquer planilha na qual outros se referem a ele como 'amigo', que essa planilha nem esse apelido são de sua autoria ou do seu conhecimento."

Doação para instituto 

Além dos depoimentos, os ex-executivos entregaram documentos ao TSE para ilustar o que relataram ao ministro. Em um desses documentos, disponibilizado pelo ex-diretor do Departamento de Operações Estruturadas Hilberto Mascarenhas, há o registro de uma doação de R$ 4 milhões da Odebrecht, feita em 2014. Ao lado do valor da doação, aparece escrito: "Doação Instituto 2014!". A reportagem do "Antagonista" afirma que o valor foi destinado ao Instituto Lula, entidade que representa o ex-presidente. O departamento que era chefiado por Mascarenhas ficou conhecido como setor de propinas da Odebrecht. Em nota, o Instituto Lula informou que todas as doações, incluindo as da Odebrecht, foram "devidamente registradas, com os nomes das empresas doadoras e com notas fiscais emitidas". Além disso, as notas "foram entregues para a Receita Federal em dezembro de 2015 e já tornadas públicas há mais de 1 ano".

O que disseram os citados

Dilma Rousseff
Leia a íntegra da nota divulgada pela assessoria de imprensa de Dilma:
NOTA À IMPRENSA
Não adianta lançarem novas mentiras contra Dilma Rousseff
A respeito de informações publicadas nesta quinta-feira, 23, sobre um supostas declarações, avisos e afirmações atribuídas ao empresário Marcelo Odebrecht, a Assessoria de Imprensa de Dilma Rousseff esclarece:
1. A ex-presidenta Dilma Rousseff não tem e nunca teve qualquer relação próxima com o empresário Marcelo Odebrecht, mesmo nos tempos em que ela ocupou a Casa Civil no governo Lula.
2. É preciso deixar claro: Dilma Rousseff sempre manteve uma relação distante do empresário, de quem tinha desconfiança desde o episódio da licitação da Usina de Santo Antônio.
3. Dilma Rousseff jamais pediu recursos para campanha ao empresário em encontros em palácios governamentais, ou mesmo solicitou dinheiro para o Partido dos Trabalhadores.
4. O senhor Marcelo Odebrecht precisa incluir provas e documentos das acusações que levanta contra a ex-presidenta da República, como a defesa de Dilma solicitou – e teve negado os pedidos – à Justiça Eleitoral. Não basta acusar de maneira leviana.
5. É no mínimo estranho que, mais uma vez, delações sejam vazadas seletivamente, de maneira torpe, suspeita e inusual, justamente no momento em que o Tribunal Superior Eleitoral, órgão responsável pelo processo que analisa a cassação da chapa Dilma-Temer, está prestes a examinar o relatório do ministro Herman Benjamin.
6. Espera-se que autoridades judiciárias, incluindo o presidente do TSE, Gilmar Mendes, e o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, venham a público cobrar a responsabilidade sobre o vazamento de um processo que corre em segredo de Justiça.
7. Apesar das levianas acusações, suspeitas infundadas e do clima de perseguição, criado pela irresponsável oposição golpista desde novembro de 2014 – e alimentada incessantemente por parcela da imprensa – Dilma Rousseff não foge da luta. Vai até o fim enfrentando as acusações para provar o que tem reiterado desde antes do fraudulento processo de impeachment: sua vida pública é limpa e honrada.
ASSESSORIA DE IMPRENSA
DILMA ROUSSEFF
Luiz Inácio Lula da Silva
Leia abaixo a íntegra da nota divulgada pelo Instituto Lula:
O ex-presidente Lula teve seus sigilos fiscais e telefônicos quebrados, sua residência e de seus familiares sofreu busca e apreensão há mais de um ano, mais de 70 testemunhas foram ouvidas em processos e não foi encontrado nenhum recurso indevido para o ex-presidente.
Lula jamais solicitou qualquer recurso indevido para a Odebrecht ou qualquer outra empresa para qualquer fim e isso será provado na Justiça. Lula não tem nenhuma relação com qualquer planilha na qual outros se referem a ele como "amigo", que essa planilha nem esse apelido são de sua autoria ou do seu conhecimento, por isso não lhe cabe comentar depoimento sob sigilo de justiça vazado seletivamente e de forma ilegal.
Todas as doações para o Instituto Lula, incluindo as da Odebrecht estão devidamente registradas, com os nomes das empresas doadoras e com notas fiscais emitidas, foram entregues para a Receita Federal em dezembro de 2015 e já tornadas públicas há mais de 1 ano.

Odebrecht

Leia abaixo a íntegra da nota da Odebrecht:
A Odebrecht não se manifesta sobre o teor de eventuais depoimentos de pessoas físicas, mas reafirma seu compromisso de colaborar com a Justiça. A empresa está implantando as melhores práticas de compliance, baseadas na ética, transparência e integridade.
Guido Mantega e Antônio Palocci
A defesa de Guido Mantega e de Antônio Palocci disse que não vai cometer a "leviandade" de comentar trechos de depoimentos sem conhecer a íntegra do que foi dito ao TSE.

Justiça: Corintiano desmaia ao ouvir que pegou 16 anos de cadeia por morte de palmeirense; veja vídeo

Corintiano Leonardo Gomes dos Santos desmaia ou ouvir sentença de condenação por morte de torcedor palmeirense (Foto: TV Globo/Reprodução)

Ao todo três corintianos foram condenados por agredir e matar Gilberto Torres com um galho de árvore em 19 de agosto de 2014, após briga entre torcidas rivais.


Um dos corintianos condenados pela morte do torcedor palmeirense Gilberto Torres Pereira, em 19 de agosto de 2014, durante uma briga em uma estação da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) desmaiou ao ouvir a sentença de condenação proferida na manhã desta quinta-feira (23). Leonardo Gomes dos Santos foi condenado a 16 anos e caiu no chão ao ouvir sua sentença (veja no vídeo acima). Também foram condenados Raimundo César Faustino, conhecido como Capá, a 21 anos de prisão, e Gentil Chaves Siani, a 18 anos. Os três foram condenados por homicídio qualificado, motivo fútil e pelo estatuto do torcedor. Os advogados dos réus entraram com recursos alegando que consideraram as penas muito altas e que não haveria provas suficientes para a condenação.


Capá era vereador pelo PT na época e integrante da Gaviões da Fiel. Ele foi preso e levado para o Presídio de Franco da Rocha. Em 2013, o acusado foi flagrado em uma briga na partida entre Corinthians e Vasco, no Estádio Mané Garrincha, em Brasília (DF). A sentença foi lida na manhã desta quinta, pelo Juiz Rafael Carvalho de Sá Roriz no Fórum de Franco da Rocha, na Grande São Paulo. O julgamento começou por volta das 10h30 desta quarta-feira (21) e se estendeu pela madrugada. O júri foi composto por sete pessoas e ouviu 13 testemunhas da acusação e da defesa, além dos réus, que estavam presos desde 2014.

Terceirização: Ministério Público do Trabalho vai pedir veto do projeto à Presidência

Terceirização: Ministério Público do Trabalho vai pedir veto do projeto à Presidência

Uma nota técnica pedindo o veto integral da lei que flexibiliza a terceirização deverá ser enviada ainda nesta quinta (23) pelo Ministério Público do Trabalho para a Presidência da República. O procurador-geral do Trabalho, Ronaldo Fleury, afirmou que o projeto aprovado pelo Congresso Nacional não irá cumprir o que propõe e vai gerar mais insegurança jurídica no mercado de trabalho. Fleury afirmou que, caso a lei seja aprovada, as relações empregatícias serão precarizadas e os contratos indeterminados serão substituídos por temporários. O MPT irá analisar se cabe uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (Adin). "Foi tão mal feito que vai gerar uma insegurança maior", afirmou Fleury.

Bahia: Polícia de Nordestina prende suspeitos de furtar cerca de R$ 10 mil em mercadorias de estabelecimento comercial


A Polícia Civil de Nordestina, prendeu Hélio Gois de Souza, 18 anos, Jeiel Cavalcante da Silva, 19 anos, João Marcos dos Santos Viana, 22 anos, e apreendeu o menor de iniciais M.J.S, suspeitos de furtarem aproximadamente 10.000,00 (dez mil reais) em mercadorias de um estabelecimento comercial. O furto ocorreu na madrugada da última quarta-feira (22), quando os elementos invadiram a loja “A Favorita” e levaram 18 (dezoito) aparelhos de celulares de marcas variadas. Os envolvidos foram recolhidos para a cadeia pública de Nordestina e estão a disposição da justiça. (*As informações e fotos são da Polícia Civil de Nordestina)

A bala comeu, mas, a polícia agiu e a casa caiu! 12 presos e um morto em confronto com a polícia, envolvidos na explosão de banco em Irecê


12 presos e um morto em confronto com a polícia, envolvidos na explosão de banco em Irecê


A Rede Bahia mostrou na noite desta quarta-feira, 22 de março de 2017, uma matéria com imagens das explosões e tentativa de arrombamento ao Banco do Brasil de Irecê. Até o momento 12 pessoas foram presas e um morto em confronto com policiais. Fonte: Augusto Urgente!




Dois suspeitos de participar do ataque a banco na cidade de Irecê, norte da Bahia, na segunda-feira (20), foram presos no município baiano de São Gabriel, na quarta-feira (23). A cidade fica a cerca de 39 km do local onde o crime aconteceu. Conforme a Secretaria da Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), com Flaldemir Martins Lopes, mais conhecido como Duda, e Damião de Souza, foram encontradas nove armas longas e um simulacro de fuzil. Armas apreendidas com suspeitos de ataque a banco em Irecê, na Bahia (Foto: SSP-BA / Divulgação) Dois homens suspeitos de participara do crime foram presos com as armas (Foto: SSP-BA / Divulgação) Ainda segundo a SSP, as armas serão encaminhadas para o Departamento de Polícia Técnica (DPT) para confirmar se foram usadas no ataque ao banco de Irecê. A secretaria informou que as armas são uma pistola calibre 765, quatro espingardas calibre 28,16 e 36, três carabinas, um simulacro de fuzil, um rifle calibre 44. Também foram apreendidos com os suspeitos uma luneta e dez cartuchos. Flaldemir e Damião foram encaminhados para a 14ª Coordenadoria de Polícia do Interior (Irecê), onde são ouvidos pelo delegado titular Roberto Leal. Segundo a polícia, cerca de 30 homens participaram do ataque ao banco em Irecê. Um morreu em confronto com a Polícia Militar na terça-feira (21). Outro suspeito de fazer parte do grupo criminoso foi preso na quarta-feira (22), em Muquém do São Francisco, no oeste da Bahia, e que fica a cerca de 332 km de Irecê. Conforme a Secretaria da Segurança Pública, James Cleido Mourato de Matos, que já tem passagem pela polícia por roubo a banco, foi ferido durante a fuga e foi localizado pela polícia em um imóvel da cidade, onde estava aos cuidados de outras 8 pessoas, que também foram encaminhadas à delegacia. Dentre elas, Gildivânia Lucas de Souza, mulher de James, e Tatiana Benício César ficaram detidas acusadas de participação direta no crime. As outras seis pessoas foram ouvidas e liberadas. A SSP informou que unidades do Batalhão de Operações Policiais Militares (Bope), da Companhia Independente de Policiamento Especializado Semiárido (Cipe/Semiárido), do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (Draco) e da 14ª Coorpin participaram da prisão e continuam nas buscas pelos outros suspeitos da quadrilha.

Armas apreendidas com suspeitos de ataque a banco em Irecê, foram encontradas em São Gabriel (Foto: SSP-BA / Divulgação)


Imagens inéditas, divulgadas na quarta-feira (22), mostram parte da ação dos criminosos durante o ataque a banco em Irecê, na madrugada de segunda-feira. Uma câmera de segurança flagrou o momento em que os bandidos chegam à rua que fica atrás do Banco do Brasil. Uma parte dos criminosos chega ao local a pé, e a outra em um carro. É possível observar que dois suspeitos carregam os explosivos. Eles abriram um buraco na parede do banco e colocaram as bombas. [Veja acima imagens inéditas que mostram o ataque ao banco].


Riscos na Operação Lava Jato: Filho de Teori Zavascki diz a Fachin que ele precisa ‘se proteger’

  Fachin que ele precisa ‘se proteger’
Foto: Diego Vara/ O Globo

Francisco Zavascki, filho do ministro Teori Zavascki, que morreu num acidente aéreo no dia 19 de janeiro deste ano, aconselhou Edson Fachin, substituto de seu pai na relatoria da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal, a se proteger em meio à expectativa de que o ministro quebre o sigilo dos depoimentos dos delatores da Odebrecht. “Falei a ele que se proteja, física e espiritualmente. Sou testemunha de como o pai sofreu por causa desse processo”, disse Francisco à coluna Painel, da Folha de S.Paulo. Francisco também aproveitou para elogiar Fachin e ressaltar que, com ele, não há motivos para se preocupar com o desfecho da Lava Jato. “Ele é um grande juiz. Quanto a isso, estou tranquilo”, completa. Sobre a escolha de Alexandre de Moraes para a vaga que era de Teori no STF, Francisco disse torcer para que a escolha de Temer tenha sido acertada.

Fatalidade em Serrinha, na Bahia: cabo da PM morre após ser atingido por carro na BR-116; motorista fugiu após acidente

  BR-116; motorista fugiu após acidente
Policial Militar foi arremessado da moto após ser atingido por carro | Foto: Leitor do Notícias de Santaluz

O cabo da Polícia Militar Benedito Ramos Ferreira Fonseca, de 45 anos, morreu em um acidente na BR-116/Norte, em Serrinha, na tarde desta quinta-feira (23), por volta das 15h10. Segundo testemunhas, ele pilotava uma Honda/Biz, de cor vermelha, quando um veículo Strada, de cor prata, atingiu a traseira da moto. O policial não resistiu aos ferimentos e morreu no local. O motorista do carro que o atingiu fugiu sem ser identificado e até a publicação desta reportagem não havia sido localizado. O 16º Batalhão de Polícia Militar informou que o cabo Fonseca estava há 24 anos na corporação, era lotado na Companhia Independente de Policiamento de Guardas e atuava no Conjunto Penal de Serrinha. Conforme a PM, ele havia deixado o serviço momentos antes do acidente. Uma guarnição da PM esteve no local e acionou o Departamento de Polícia Técnica para realizar a perícia. A Polícia Civil investigará o caso. Notícias de Santaluz

Bahia: Operação prende 10 pessoas com armas, acusadas de envolvimento no arrombamento ao Banco do Brasil em Irecê


Nesta quarta-feira, 22 de março de 2017, soldados da CIPE Chapada, CIPE Cerrado, Caesa, com apoio da Rondesp realizaram duas ações nos municípios de Barro Alto e Muquém do São Francisco, onde apreenderam uma grande quantidade de armas, drogas e 10 pessoas supostamente envolvidas na tentativa de assalto ao Banco do Brasil de Irecê. Por volta das 13h, com o apoio das unidades do Comando de Policiamento Especializado, CIPE Chapada e CIPE Cerrado, bem como pelas unidades do orgânico do Comando de Policiamento da Região Oeste, Rondesp Oeste e 28a CIPM/Ibotirama, foi preso na cidade de Muquém do São Francisco, o nacional Jackson Pereira da Silva, 34 anos, natural de Simão Dias/SE, qualificação que está sendo apurada a veracidade. A Diligência se desenvolveu no intuito identificar onde um suposto baleado - Jackson - estaria se recuperando de lesão similar a identificada pelas câmeras de monitoramento do 7BPM/Irecê, fato que foi confirmado no bairro "29" na cidade de Muquém do São Francisco, sendo apreendidos um revólver Rossi Cal. 38 numeração AA0687684, municiado com 06 e com 23 sobressalentes e uma pistola Taurus .40, 33 munições e dois carregadores com numeração suprimida. Além do retrocitado, foram também conduzidos mais 08 pessoas, sendo 04 homens e 04 mulheres, sendo uma das mulheres a esposa de Jackson, a senhora Tatiana Benício César, 35 anos. Já por volta das 13:20h, duas Guarnições da CAESA, chegaram a localidade de Gameleira de Barro Alto, para localizar a propriedade onde os indivíduos de vulgos "Leo", "Babau" e "Laio ou Alemão" estariam escondidos depois de terem também participado da tentativa de assalto ao Banco em Irecê. Ao ver aproximação das Guarnições por um sistema de monitoramento, camuflado em árvores, fugiram levando armamentos. No local foi presa em flagrante Yasmin Sodré de Souza de posse dos seguintes materiais:



- 01 espingarda, CBC, calibre 28, numeração 415852 com 05 cartuchos intactos;
- 03 conjuntos de Coletes balísticos;
- 280 gramas de cocaína;
- 652 gramas de maconha;
- 05 celulares;
- R$ 804,50;
- 01 conjunto de farda da PMSP;
- 02 conjuntos de fardas tipo selva;
- 01 camisa da PC/SP;
- 01 balança de previsão;
- 42 estojos de diversos calibres  (.40, 380, .38).

Todos os conduzidos e materiais apreendidos foram apresentados na sede da 14a Coorpin em Irecê.
COM INFORMAÇÕES DA PMBA/CPE/CIPE SEMIARIDO.



Rusgas no legislativo de Queimadas: vereadores da bancada de oposição abandonam plenário da Câmara durante sessão

Vereadores da oposição abandonaram sessão após divergências com a mesa diretora da Câmara | Foto: Notícias de Santaluz

Quatro vereadores que integram a bancada de oposição ao governo municipal de Queimadas abandonaram o plenário da Câmara Municipal durante a sessão realizada na manhã desta quarta-feira (22). Segundo o presidente da Casa, vereador Paulo do Riacho (PT), os edis Mário Regis (PTN), Valmir Barreto (PSDB), Valda (PP) e Lúcia de Pininho (PMDB) deixaram a sessão após se negarem a seguir a ordem dos pronunciamentos na tribuna. “Foi estabelecido pela mesa diretora que todos os vereadores deveriam se pronunciar durante as sessões de acordo com a ordem determinada no regimento interno da Casa. Mas, parecendo não compreender o que diz o regimento, tentaram tocar a sessão desta quarta-feira do jeito que eles bem entendessem e, após divergências, abandonaram a sessão, que transcorreu normalmente após o ocorrido”, explica o presidente da Câmara. “Buscamos desempenhar nossa função promovendo a integração entre todos os vereadores, mas não compactuaremos com condutas que estejam em desacordo com o regulamento da Casa”, conclui. O Notícias de Santaluz tentou contato para obter um posicionamento dos vereadores da oposição, mas não conseguiu até a publicação desta reportagem. Notícias de Santaluz

Bahia: Jovem com mandado de prisão por estupro em Queimadas é preso pela PM em Santaluz

Acusado de estupro foi preso em Santaluz e encaminhado para Queimadas | Foto: Notícias de Santaluz

Lucas Santos de Oliveira, 27 anos, procurado pela Justiça por ser acusado de ter cometido um estupro na cidade de Queimadas, foi preso no Centro de Santaluz na tarde desta quarta-feira (22). Segundo a Polícia Militar, ele foi detido na Avenida Nilton Oliveira Santos após policiais da 5ª Companhia do Décimo Sexto Batalhão terem recebido uma denúncia informando a localização de um homem em atitude suspeita. Ainda de acordo com a corporação, ao perceber a aproximação das viaturas, ele tentou fugir, mas foi alcançado. Ainda conforme a Polícia Militar, ao realizar consulta ao sistema, os policiais constataram que Lucas tinha um mandado de prisão em aberto no qual responde pelo crime de estupro. Ele foi encaminhado para a Delegacia de Queimadas, onde ficou preso à disposição da Justiça. Notícias de Santaluz

Operação Carne Fraca: JBS coloca carne com validade vencida em comercial de resposta à operação da PF

  comercial de resposta à operação da PF
Foto: Reprodução / YouTube

A JBS usou uma carne com prazo de validade vencido em um comercial publicado no YouTube nesta terça-feira (21). O material era uma resposta à Operação Carne Fraca, da Polícia Federal, que investigou 21 frigoríficos por irregularidades na fiscalização, armazenamento e produção de carnes, embutidos e laticínios. Com título 'JBS: Qualidade É Prioridade', o vídeo trouxe aos 14 segundos um selo colado na peça de picanha da Friboi com validade de 2013. Em resposta enviada à Exame, a JBS explicou que o filme foi produzido a partir de imagens de arquivo, por isso a validade ultrapassada. "A campanha reforça o compromisso da companhia com a alta qualidade e segurança alimentar em todos os produtos de suas marcas", disse a empresa.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha lista de blogs

Google+ Followers