sexta-feira, 17 de março de 2017

Crueldade! Jovem de 18 anos é brutalmente assassinada com 12 tiros dentro de academia no interior da Bahia

  dentro de academia no interior da Bahia
Crueldade! Jovem de 18 anos é brutalmente assassinada com 12 tiros dentro de academia no interior da Bahia

Uma jovem de 18 anos foi executada com 12 tiros dentro de uma academia do município de Catu, a cerca de 90 quilômetros de Salvador, na noite de quinta-feira (16). Segundo informações da delegacia da cidade, o crime foi cometido por dois homens que chegaram a bordo de uma motocicleta. Ainda de acordo com a polícia, a academia fica no primeiro andar de um estabelecimento comercial. No momento do crime, cerca de 20 pessoas estavam no local. A dupla ordenou que todos se abaixassem, foi até a vítima e realizou os disparos. O socorro foi acionado, mas a jovem morreu antes da chegada do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Testemunhas que presenciaram o crime relataram para polícia que os suspeitos usaram capacetes durante toda ação, e fugiram em seguida. A Polícia Militar (PM) foi acionada e realizou rondas pela região, mas até a manhã desta sexta-feira (17), ninguém foi preso. O delegado Henrique Morais, responsável pelo caso, informou que a vítima não tinha passagem pela polícia. A motivação e autoria do crime serão investigadas pela delegacia de Catu. “A vítima não tinha passagem, e até o momento é muito cedo para levantar qualquer ideia. Estamos ouvindo testemunhas para entender melhor o que aconteceu”, explicou o delegado. (As informações são do G1/BA)

Crise hídrica na Bahia: Chuva reduz severidade da seca em Ponto Novo

  seca em Ponto Novo
Crise hídrica na Bahia: Chuva reduz severidade da seca em Ponto Novo

Após altas temperaturas registradas e impactos negativos causados em Ponto Novo por conta da estiagem, as abundantes chuvas que caíram por boa parte da tarde desta sexta-feira (17) vieram para trazer esperança e reduzir a severidade da seca em Ponto Novo. No Projeto de Irrigação foi registrado um volume de 35mm. Fonte: Web Interativa 

Só comemos porcaria! Maior operação da história da Polícia Federal apura venda ilegal de carnes com apoio de fiscais do Ministério da Agricultura

 apoio de fiscais do Ministério da Agricultura
Só comemos porcaria! Maior operação da história da Polícia Federal apura venda ilegal de carnes com apoio de fiscais do Ministério da Agricultura

A Polícia Federal cumpre, na manhã desta sexta-feira (17), 309 mandados judiciais nos estados de São Paulo, Paraná, Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Goiás e no Distrito Federal. Aproximadamente 1.100 policiais federais cumprem 27 mandados de prisão preventiva, 11 de prisão temporária, 77 de condução coercitiva e 194 de busca e apreensão em residências, locais de trabalho dos investigados e em empresas supostamente ligadas ao grupo criminoso. Batizada de ‘Carne Fraca’, a operação apura o envolvimento de fiscais do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) em um esquema de liberação de licenças e fiscalização irregular de frigoríficos. A ação, considerada a maior já realizada pela PF no país, envolve grandes empresas do setor, como a BRF Brasil, que controla marcas como Sadia e Perdigão, e também a JBS, que detém Friboi, Seara, Swift, entre outras marcas, além de frigoríficos menores. Gravações telefônicas obtidas pela Polícia Federal apontam que vários frigoríficos do país vendiam carne vencida tanto no mercado interno, quanto para exportação. Entre produtos químicos e produtos fora da validade, há casos ainda mais ‘curiosos’, como a inserção de papelão em lotes de frango e carne de cabeça de porco em linguiça, além de troca de etiquetas de validade. Notícias de Santaluz

Crise hídrica assustadora: deputado diz que “nunca viu uma situação tão calamitosa” na Bahia

 “nunca viu uma situação tão calamitosa” na Bahia
Crise hídrica assustadora: deputado diz que “nunca viu uma situação tão calamitosa” na Bahia

Uma reunião conjunta entre as comissões de Meio Ambiente, Seca e Recursos Hídricos; de Infraestrutura, Desenvolvimento Econômico e Turismo; e de Agricultura e Política Rural, discutiu a crise hídrica na Bahia nesta segunda (13). O encontro durou mais de cinco horas. Em entrevista, o deputado estadual Eduardo Salles (PP), que é formado em agronomia e foi secretário de Agricultura, disse que “nunca viu uma situação tão calamitosa”. “É um momento de desespero para milhares de pessoas que estão no interior”. Segundo o parlamentar, o principal objetivo do debate foi fazer um “raio X da realidade atual”. Diversos gestores dos governos estadual e federal, além de deputados federais, estiveram presentes. “Em nenhum momento aqui nós tivemos nenhuma questão partidária colocada. Nós estamos querendo é que todos juntos, vamos em Brasília, vamos ao governo estadual, aos governos municipais, para poder mobilizar todos em prol de minimizar os efeitos dessa catástrofe, que está acontecendo na Bahia e que a gente não ver uma luz tão próxima, porque as perspectivas de chuvas não são boas. E a gente tem os mananciais em um nível crítico, todos eles”, afirmou. *Informe Baiano


Monstruosidade: Namorado é suspeito de estuprar filhos da ex-BBB Priscila Pires, diz polícia

Monstruosidade: Namorado é suspeito de estuprar filhos da ex-BBB Priscila Pires, diz polícia

A ex-‘BBB’ Priscila Pires pode estar envolvida em uma nova polêmica. Isso porque, o delegado Fabio Sampaio, da Delegacia Especializada de Proteção à Criança e ao Adolescente de Campo Grande, apontou que os filhos da famosa podem ter sido vítimas de abuso sexual. Segundo informações do programa “Fofocalizando”, do SBT, a polícia informou que concluiu o inquérito, que ocorria desde agosto do ano passado, e apontou que tem provas suficientes para incriminar o namorado de Priscila, João Reis. Na ocasião, um familiar teria filmado uma declaração dos meninos de 3 e 4 anos, em que eles contam que foram abusados pelo companheiro da mãe. A denúncia será feita também ao Ministério Público, em Campo Grande, e o caso segue em segredo de Justiça. A ex-BBB continua se relacionando com João Reis e fez postagens recentemente ao lado dele.

Combate ao crime na Bahia: Quatro elementos são presos pela polícia durante operação em Nordestina

  presos pela polícia durante operação em Nordestina
Combate ao crime na Bahia: Quatro elementos são presos pela polícia durante operação em Nordestina

Se deram mal


A Polícia Civil de Nordestina efetuou a prisão de quatro elementos durante operação realizada na madrugada da última terça-feira (14). Denominada de “Operação Poças” já que na citada localidade vários indivíduos se reúnem para acertar e combinar assaltos no município e região, a ação policial resultou na prisão de Neílton Mota Monteiro (Ti), 20 anos, Juvenildo Mota Monteiro (Vaninho), 23 anos, Edvaldo de Paula Mota (Negão do Deto), 24 anos e Claudenildo dos Santos Almeida (Pé de Serra), 21 anos. Edvaldo em seu depoimento confessou que ele Ti, Quino Lasca Pau e outros comparsas cometeram vários furtos e roubos de veículos, criações, e praticaram diversos assaltos em Nordestina, Cansanção, Queimadas e Itiúba. De acordo com o Delegado José Marcelo, com a prisão de Negão do Deto, vários inquéritos de furtos e roubos serão concluídos.

A Jovem Camila Albuquerque é encontrada morta com as mãos amarradas na Bahia

  com as mãos amarradas na Bahia

Crueldade brutal


O corpo de uma jovem foi encontrado por populares, na manhã desta quarta (15), na pista nova que liga a BR-324 ao bairro de Cajazeiras XI em Salvador. Ela estva com uma roupa íntima e as mãos amarradas. Um morador revelou que estava correndo na localidade e viu cena. “Tem a tatuagem da cruz no braço dela”. Um policial, que pediu reserva, afirmou que a vítima é Camila Albuquerque, moradora de Cajazeiras III e recebeu mais de 15 tiros. A suspeita é que o crime ocorreu durante esta madrugada. O Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) deve investigar o caso. Com informações do Informe Baiano


Odebrecht no Petrolão: Computador de delator detalha repasses ilegais

Foto: Reprodução / La Prensa

Planilhas, um laptop, celulares e documentos confiscados pelo Ministério Público da Suíça confirmam que a Odebrecht usou seu caixa 2 para enviar "milhões de dólares" para o financiamento de campanhas eleitorais no Brasil em 2010 e 2014. O material era do executivo Fernando Migliaccio, preso em Genebra em fevereiro de 2016. De acordo com as planilhas apreendidas, os pagamentos chegaram a ter um calendário, com transferências semanais aos beneficiados - que incluiria financiamento para a campanha da chapa Dilma Rousseff-Michel Temer, em 2014. Ao jornal O Estado de S. Paulo, fontes que acompanham o caso confirmaram que o material pode ser considerado "crucial" para as investigações no Brasil e apontariam para um pagamento "regular" por parte da construtora para partidos e políticos nacionais, em troca de favores. Em documentos do Ministério Público de Berna, a conclusão é de que foram feitos "pagamentos em contas suíças para o financiamento de campanhas políticas no Brasil". Os partidos e os nomes dos políticos, porém, não foram revelados. Mas pessoas que já tiveram acesso ao material confirmam que os pagamentos atendiam "a todos os grupos". Miggliaccio era um dos responsáveis pelo Departamento de Operações Estruturadas, o setor de propinas da empreiteira. A reportagem apurou que, no início de 2016, Miggliaccio viajou para a Suíça, diante da iminente prisão de pessoas que eram consideradas "fundamentais" e que poderiam revelar detalhes de como funcionava o financiamento ilegal de campanhas. O executivo conseguiu apagar parte substancial de um servidor que a Odebrecht mantinha na Suíça, onde estocava dados sobre o pagamento de propinas em todo o mundo. Miggliaccio acabou detido e, em meados do ano, aceitou cooperar. Em seu compromisso, ele também aceitou entregar todos os dados, que ainda estão de posse dos suíços. A Procuradoria-Geral da República já fez pedido para reaver o material. "Milhares de listas foram confiscadas e, a partir dos pagamentos relatados por meio do sistema ilegal, foram listados, com datas de pagamento, o valor e o nome dos recipientes", indicou o MP suíço, em documento que faz parte da decisão sobre a multa aplicada à Odebrecht. Em dezembro, o jornal revelou que pelo menos 66,5 milhões de francos suíços (R$ 200 milhões) foram pagos a ex-diretores de estatais e outros funcionários públicos no Brasil em propinas a partir das contas na Suíça. No total, o país investigou mais de 300 transações bancárias, com o envolvimento de intermediários e funcionários públicos. A constatação foi de que 440 milhões de francos suíços das subsidiárias da Odebrecht passaram pelos bancos suíços entre 21 de dezembro de 2005 e junho de 2014. No total, o sistema criado pela Odebrecht em todo o mundo movimentou de forma ilegal US$ 635 milhões. Procurada, a empreiteira não se pronunciou. por Jamil Chade, correspondente | Estadão Conteúdo

Polícia Federal indicia Taiana de Souza Camargo ex-capa da Playboy na Lava Jato



Gostosa na mira da PF


Três anos após receber um telefonema do doleiro Alberto Youssef avisando que havia caído na Operação Lava Jato, a modelo Taiana de Souza Camargo entrou na mira da maior investigação contra corrupção no País. Ex-amante do doleiro, Taiana foi indiciada pela Polícia Federal na segunda-feira (13) pelo crime de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores. Grande operador de propinas no esquema instalado na Petrobras entre 2004 e 2014, o doleiro é um dos primeiros delatores da Lava Jato. Youssef revelou pagamentos de vantagens ilícitas por empreiteiras a políticos, entre deputados, governadores e senadores. Em janeiro de 2015, Taiana foi capa da Playboy. Nas páginas da revista ela exibiu charme e curvas generosas. E também contou que foi a primeira pessoa para quem o doleiro mandou mensagem, já na prisão da Lava Jato, em março de 2014. "Ele nunca mais me ligou depois daquela mensagem. Acho que ele primeiro pensou em se preservar. Fiquei magoada", disse Taiana, na época. O ex não mais apareceu para Taiana - até porque ficou preso em regime fechado por dois anos e meio -, e ela, por sua vez, não apareceu para a Polícia Federal. Ao promover seu indiciamento indireto, a PF destacou as "inúmeras tentativas" de ouvir a moça. "Intimada em 3 de março de 2016, não compareceu pedindo para ser ouvida por precatória. Expedida carta precatória, não compareceu às oitivas marcadas para o dia 25 de julho de 2016, apesar da intimação. Em nova intimação para o dia 6 de outubro de 2016, obteve-se a informação que se encontrava no exterior. A carta precatória foi devolvida sem cumprimento. Taiana deixou o País dia 11 de julho de 2016, retornando dia 23 de dezembro de 2016", narra a PF. Relatório da Polícia Federal, subscrito pelo delegado Ivan Ziolkowski, aponta que o doleiro, "a título de doação, transferiu um apartamento em São Paulo e uma sociedade em um restaurante para Taiana de Souza Camargo" para ocultar seu patrimônio. "Alberto Youssef mantinha um relacionamento com Taiana Camargo e transferiu diversos bens e patrimônio para ela a título de 'presentes'. Além de quitar diversas despesas cotidianas de Taiana como condomínio e escola de seu filho, Youssef pagou para ela em 2011 um veiculo BMW 2007", identificou a PF. Quinta, 16 de Março de 2017 - 14:00  por Julia Affonso, Fausto Macedo e Ricardo Brandt | Estadão Conteúdo




A declaração de Imposto de Renda de Ajuste Anual/Ano 2010 de Taiana aponta recebimento de RS 44.894,00 de Pessoa Física no Exterior. Em 2011, segundo o relatório, foram transferidos R$ 62.991 mil à modelo. "Ainda em 2011, Taiana apontou na sua declaração anual um patrimônio total em 31 de dezembro de 2011 de R$ 98.940,04. Chama a atenção, no entanto, que na declaração de 2012, declarou que seu patrimônio na mesma data de 31 de dezembro de 2011 totalizava R$ 1.098.500,00. Ao que tudo indica introduziu valor injustificado como Saldo em Giro e Domicílio para justificar o apartamento que recebeu de Alberto Youssef em 2012", destaca o delegado. O relatório destaca que o valor estimado do imóvel, atualmente, é R$ 871.733.66. "Com as oscilações do mercado imobiliário experimentadas nesta década pode-se inferir que o valor declarado em 2012 foi compatível com a realidade", aponta o delegado. Para a PF, há "prova indiciária de má-fé" ao ocultar a origem do patrimônio. Segundo o relatório, Alberto Youssef declarou que a ex-amante recebeu a sociedade do restaurante Aracari "porque ele tinha restrições perante a Receita Federal, constituindo-se, portanto, Taiana, como pessoa interposta (laranja) na sociedade". "Evidentemente, Taiana tinha conhecimento das atividades ilícitas de Alberto Youssef, ou ao menos, era presumível que soubesse delas. Desta forma, havendo configuração clara da materialidade e autoria, pelos indícios apresentados, determino o indiciamento indireto de Taiana de Souza Camargo pelo crime de lavagem ou ocultação de bens, direitos e valores de Alberto Youssef", afirma o delegado. Na entrevista à Playboy, em 2015, Taiana relatou que, durante o namoro, tomou conhecimento de casos de corrupção envolvendo o doleiro, mas sucumbiu. "Cheguei a confrontá-lo. Mas ele disse que essas acusações eram isso, passado, e que eu estava sendo preconceituosa. Acabou me dobrando", contou. A reportagem deixou recado no escritório de advocacia ligado à defesa de Taiana de Sousa Camargo. Não houve retorno. O espaço está aberto para manifestação da defesa da ex-amante de Alberto Youssef.






O trabalhador paga a conta dos espertalhões! Deputado do PT pede afastamento de relator da reforma da Previdência

  PT pede afastamento de relator da reforma da Previdência

Paga o que deve Arthur Maia (PPS-BA) e cala a boca!


O deputado Robinson Almeida (PT-BA) afirmou nesta quinta-feira (16) que entrou com representação na Corregedoria da Câmara pedindo o afastamento de Arthur Maia (PPS-BA) da relatoria da reforma da Previdência na Casa. Segundo o petista, Maia não tem os requisitos da impessoalidade e da moralidade para relatar a matéria. Na representação, Almeida afirma que uma das empresas do relator, um posto de gasolina no município Serra do Ramalho, no interior da Bahia, deve R$ 150 mil à Previdência Social. "Além de ser devedor da Previdência, disse o petista, Maia teve como doador de campanha em 2014 o Bradesco Vida, "uma seguradora de previdência interessada na reforma". "Por isso mesmo, ele (Maia) não tem os requisitos da impessoalidade e da moralidade para relatar essa matéria", afirmou o deputado petista. Ele disse esperar que o corregedor da Câmara - atualmente ocupado pelo deputado Claudio Cajado (DEM-BA), avalie os argumentos e afaste o parlamentar do PPS o mais rápido possível da relatoria da reforma da Previdência.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Minha lista de blogs

Google+ Followers